Pense comigo em um atleta de alto nível, independente de sua modalidade. Facilmente você lembrará dos nomes dos campeões, medalhistas olímpicos e ícones em seu esporte. Em cada campeão percebemos o profundo nível de entrega à sua atividade, e o modo como cada um se preparou para o momento onde é coroado pelo seu empenho. Foram longos dias de treino, esforço e renúncia.

Interessante ainda quando fazemos um certo exercício mental sobre isso: imagine o recordista dos 100 metros rasos participando de uma maratona. Feito isso, responda a si mesmo: ele se sairia bem? Conseguiria chegar entre os primeiros lugares, repetindo a performance em sua especialidade esportiva? Por certo não. O mesmo é válido caso o campeão da última maratona disputasse a prova dos 100 metros rasos. Percebe a diferença entre eles? Mesmo sendo os mais destacados em sua área, o fato é que cada modalidade exige uma preparação diferente. E é neste ponto que quero chegar com você.
Propósitos diferentes exigem preparações diferentes.

Usei anteriormente o exemplo das corridas para compor uma imagem da vida cristã. Ser um discípulo de Jesus é equivalente a uma longa caminhada (ou maratona, se preferir). Não fomos chamados para uma corrida breve de 100 metros, do tipo “pegue sua bênção e saia correndo”. Ao contrário, a vivência com Jesus deve ser intensa e experimentada no dia a dia. Tal identificação é tão poderosa que os discípulos, ainda no início da Igreja, eram conhecidos como os “Do Caminho”. O próprio Jesus, ao falar de si mesmo, usa a expressão “Eu sou o Caminho…”.

Portanto, vale a pena se perguntar: “Como tem sido a minha preparação neste caminhar com Jesus?”. Será que encaramos nossa trajetória como uma breve corrida, rápida o suficiente para alcançar nossa resposta de oração e em seguida mudamos o curso para longe de Jesus? Encaramos nossa caminhada como uma estação, um tempo ao lado de Jesus de modo a obter alguma paz no meio de um conflito? Ou nos preparamos para uma jornada iniciada aqui, e que continuará na eternidade?

Medite por um pouco, e para ajudar você, reflita comigo nesta frase: “Jesus não é o lugar que se chega, mas o modo como se vai”.

E hoje, como tem sido o “Caminho” que você tem andando?

Pr. Bruno

Comentários

Categorias: Devocional

Douglas Oliveira Rodrigues

Sou jovem, profissional de TI, sei aproximadamente 6 acordes de violão, cristão, adorador, e apaixonado pelo Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: