Seja como Jó

Seja como Jó

“Manterei minha retidão, e nunca a deixarei; enquanto eu viver, a minha consciência não me repreenderá”. (Jó 27.6)

Geralmente, as pessoas destacam do livro de Jó apenas os capítulo 1, 2, 38 e 42. Se, por um lado, ouvimos e lemos coisas lindas nesses capítulos, por outro lado, deixamos de ver coisas maravilhosas nos outros 38 capítulos do livro.

Sabemos que tanto Deus, quanto o diabo, o próprio Jó e o autor do livro sabiam que Jó era um homem íntegro, reto, temente a Deus e que se desviava do mal (Jó 1.1, 8, 9; 9.20). Apesar dessas qualidades, isso não foi um empecilho para que Jó perdesse seus bens, seus filhos e sua saúde. No decorrer do livro vemos que tanto Jó como seus amigos entendem que o mundo é movido apenas pela lei da semeadura, ou seja, que tudo o que o homem planta ele colhe. Por isso, se Jó estava passando por tal situação, deve-se ao fato de ter feito algo para merecer. O problema de pensarmos assim é que limitamos o agir de Deus em nós e no mundo.

Uma das várias lições que podemos tirar do relato de Jó é que muitas vezes passamos por certas situações por termos plantado algo para merecermos tais coisas. E isso não é uma verdade. Se pensarmos na salvação, o que fizemos para merecê-la? Nada. A salvação é um dom gratuito de Deus, ou seja, é um presente, e não fizemos nada para recebê-lo (Efésios 2.8). Esse é apenas um dos vários exemplos que poderia ser usado para demonstrar que nem tudo que colhemos plantamos.

Voltando ao caso de Jó, a lição que quero abordar é que o propósito de Deus para Jó era elevar seu relacionamento. Aquele grau de relacionamento que Jó vivia estava perfeito (Mateus 5.48), mas era necessário passar de fase. E Jó só percebe esse propósito de Deus no versículo 5 do capítulo 42, quando diz que antes conhecia Deus de ouvir falar, mas que, a partir daquele momento, seus olhos viram a Deus.

Talvez isso seja uma realidade em sua vida. Talvez você esteja passando por certa situação e, quando analisa o motivo pelo qual está vivendo essa circunstância, não vê uma causa. Talvez o propósito de Deus nesse âmbito é transformar alguma área da sua vida ou, até mesmo, sua motivação em servi-Lo (Romanos 12.2).

Minha oração é para que, apesar das circunstâncias, você se mantenha como Jó ou ainda como o apóstolo Paulo sugere em Romanos 12.1. Não se deixe esmorecer pelo quadro em que você tem vivido. Permaneça firme na fé (1Coríntios 16.13). E lembre-se: somente depois que Jó orou por seus amigos é que o Senhor mudou sua situação (Jó 42.10). Certamente, essa mudança não foi imediata, mas paulatina. Que você tenha a paciência de Jó para esperar pacientemente no Senhor, pois, certamente, Ele ouve suas orações (Salmos 40.1).

Fique na graça

Pr. Bruno

Comentários

Douglas Oliveira Rodrigues

Sou jovem, profissional de TI, sei aproximadamente 6 acordes de violão, cristão, adorador, e apaixonado pelo Senhor.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho

%d blogueiros gostam disto: